Benefícios da dança para saúde




Benefícios da dança para a saúde

Resultado de imagem para beneficios da dança

Praticar alguma dança pode ser tão eficaz quanto um treinamento aeróbico. A dança é uma boa alternativa à ginástica, pois ela move grandes grupos musculares, algo que é muito positivo para diferentes doenças, especialmente doenças osteo-musculares, melhorando aspectos como a flexibilidade, força e resistência.

Dança para a perda de peso

É um boa maneira de lutar contra a obesidade e queimar calorias, além de representar um grande benefício para as pessoas com problemas circulatórios ou de rigidez articular, estimulando o fluxo sanguíneo e o funcionamento do sistema circulatório. Baseada na confluência de movimentos, equilíbrio, ritmo e representação gestual, a dança é o exercício coletivo mais sincronizado que existe.

Dança para todas as idades

Segundo muitas sociedade médicas, a dança deve ser incluída no contexto de estilos de vida saudáveis para o coração como um integrante que ajudará a melhorar a saúde física, especialmente em certos grupos, como os idosos. A dança não está restrita a nenhuma idade, classe social ou profissão. De acordo com especialistas, bastam 30 minutos de dança, três vezes por semana, para gerar efeitos visíveis para a saúde

Cada vez mais idosos decidem dar seus primeiros passos ou lembrar os velhos tempos ao ritmo de ritmos como salsa, valsa ou bolero. Os jovens preferem o funk e danças mais modernas. Crianças geralmente curtem fazer balé ou dança contemporânea. Para elas, aulas de dança servem mais ferramenta pedagógica para desenvolver memória, o ouvido musical e a linguagem corporal. Para elas, a dança é uma forma divertida de melhorar o seu equilíbrio, a relação com um grupo e obter senso de ritmo.

Benefícios físicos da dança

A dança, de forma semelhante à natação, é uma atividade que pode ser feita em qualquer idade. Ela traz benefício cardiovascular ao facilitar a circulação sanguínea e auxilia também no bom funcionamento do sistema respiratório. A dança melhora a aparência pois favorece a drenagem de líquidos e toxinas e remove o excesso de gordura. Ela também combate o excesso de peso e níveis elevados de colesterol.

A dança pode ajudar a corrigir problemas de má postura, fortalece músculos e aumenta flexibilidade, força e resistência. É muito boa para as pessoas que sofrem de doenças ósseas e rigidez articular. Ela ajuda a melhorar a agilidade, equilíbrio e coordenação de movimentos. É um bom exercício para o cérebro, pois melhora a concentração e a memória.

Muitas das posturas negativas derivadas de um estilo de vida sedentário são corrigidos com a dança. A cabeça e o corpo ereto e o passo suave melhoram a presença física. Na terceira idade, é aconselhável praticar dança para aliviar dores articulares e prevenir a osteoporose. Em crianças, pode ajudar a corrigir distúrbios congênitos e má postura.

Benefícios psicológicos da dança

A dança melhora as relações pessoais: é uma excelente maneira de superar a solidão e timidez e estabelecer novas relações. Ela reduz o estresse e favorece o relaxamento, liberando tensões. Reduz a ansiedade e depressão, ajuda a expressar emoções e a canalizar a adrenalina. A dança levanta o ânimo, eleva a autoestima, promove autoconfiança e clareza de pensamento. Além de todos os benefícios físicos e mentais expostos, o melhor da dança é a diversão. É praticamente impossível dançar sem sorrir. Entrar junto com o parceiro numa aula de dança também pode unir o casal, reduzindo problemas conjugais.


Cada dança tem suas propriedades

O tipo de dança escolhido depende do gosto da pessoa e de seu estado de saúde. A dança do ventre é muito eficaz para as mulheres, por exemplo. Seus movimentos suaves e ondulantes não só tiram o estresse físico ou psicológico, mas favorecem o bom funcionamento do sistema reprodutivo. Esse estilo de dança também fortalece os músculos da vagina e combate o desconforto menstrual. Por outro lado, danças que envolvem sapateado são contraindicadas para pacientes com problemas de coluna.

Estilo afrocaribenho

Os movimentos são sugestivos, sensuais e enérgicos. Utiliza-se todas as partes do corpo: a música e a dança formam uma unidade indissolúvel. Isto pode ser visto nos bailes dos estilos de origem do Congo, na rumba cubana, no merengue dominicano, na dança haitiana, entre outras danças afro-caribenhas.

Dança afro contemporânea

Esta dança está baseada na busca por um equilíbrio entre as danças de origem africana com elementos da dança moderna. Permite a melhora da concentração, equilíbrio e flexibilidade através de exercícios no chão e também na barra. Seu objetivo principal é o trabalho de reforço do tronco, braços e pernas. Nesta dança, coreografias próprias das danças africanas são usadas.

Capoeira

A capoeira, tipicamente afro-brasileira, é vista por muitos como uma arte marcial, mas é, na verdade, uma dança. Nela, são combinados saltos e chutes, sempre acompanhados de canto e do som de instrumentos como o berimbau e o pandeiro.

Dança do ventre

É uma dança que combina elementos tradicionais do Oriente Médio com outros do Norte de África. Os movimentos são principalmente nos quadris e ventre. Nos países árabes, é conhecida por diferentes nomes e os estilos também variam. Esta dança não é fácil e exige o aprendizado de posturas básicas que, aos poucos, vão se somando a combinações de movimento dos quadris, ombros, braços e pulsos. Não é recomendada para pessoas que querem fazer uma exercício rápido e enérgico.

Hip hop

Hip hop é um movimento cultural e artístico que surgiu nos Estados Unidos na década de 1960 nas comunidades afroamericanas e latinas. É uma dança baseada no na batida do rap, música mais fortemente associada ao movimento hip hop. A dança é muito enérgica e requer bastante controle do corpo.

Salsa

Salsa é o nome comumente usado para descrever uma mistura de vários estilos da música cubana. A maneira de dançar a salsa é com movimentos ritmados do quadril e ombros. Tanto os homens como as mulheres giram em torno de si em ambas as direções. Os movimento de braços, pernas e quadris devem estar bem sincronizados.

Benefícios do tango

Estudo publicado em 2007 pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, informou que o tango melhora a mobilidade de pacientes com Parkinson. No começo, os pacientes relatam tremores, rigidez e dificuldades para iniciar os movimentos desejados. Entretanto, verificou-se que, depois de 20 aulas, a rigidez passa a ocorrer com menor frequência. Em comparação com pacientes que receberam aulas de ginástica, os dançarinos de tango revelaram melhor equilíbrio e melhores resultados dos testes para se levantar e caminhar.

Consultar um especialista

Se houver qualquer doença, antes de escolher um tipo de dança você deve consultar um especialista. A dança é uma outra forma de exercício e, como tal, requer monitoramento que inclua a realização de provas complementares de diagnóstico e a prática de exercícios vigorosos que excedem os níveis desejáveis deve ser evitada.

 

COMPARTILHEM!


Loading...